Educação

Aulas da rede municipal estão suspensas por tempo indeterminado em Ajuricaba

Em nota de esclarecimento conjunta emitida nesta semana pela Vigilância em Saúde, Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Educação, a população foi informada de que as aulas na rede municipal de ensino não tem prazo para serem retomadas.

A nota esclarece que Ajuricaba se encontra no pico do contágio com o novo coronavírus (Covid-19), além de não estar há pelo menos duas semanas fora da bandeira vermelha.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Leia a nota na íntegra abaixo.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria Municipal de Saúde, setor de vigilância em Saúde, e a Secretaria Municipal de Educação vem através desta nota esclarecer algumas questões referentes a volta das atividades escolares no ano de 2020.

Segundo dados epidemiológicos do Município de Ajuricaba/RS, até o momento temos 33 casos positivos de Covid-19 e 38 pacientes em isolamento. Estes números estão crescendo progressivamente, pois a equipe responsável pelos atendimentos de casos suspeitos de COVID-19 está atendendo um número expressivo de pacientes es testando praticamente todos. Portanto, o perfil epidemiológico do município nos indica que estamos no pico de transmissão do vírus.

Embora nos encontramos hoje na classificação de bandeira laranja, é descrito no protocolo estadual que cada região, para estabelecer retorno das atividades escolares, precisa, necessariamente, permanecer duas semanas consecutivas na bandeira laranja e/ou estar na bandeira amarela.

Deste modo, e em conjunto com a decisão da Associação dos Municípios do Planalto Médio (AMUPLAM), fica SUSPENSA a retomada das atividades escolares presenciais nas escolas de ensino público municipal, por tempo indeterminado. Fica a critério de cada município avaliar o cenário epidemiológico e regional, juntamente com a Vigilância em Saúde Municipal e Secretaria de Saúde, para qualquer modificação no protocolo da educação.

Haja vista que as instituições de ensino particulares podem optar por retornar as atividades, mediantes protocolos de saúde e segurança instaurado pelo Município e Estado, que devem ser cumpridos na sua totalidade, garantindo saúde e segurança dos alunos e colaboradores. Estas medidas serão fiscalizadas e exigidas pela fiscalização sanitária municipal. Também é de obrigatoriedade que as instituições de ensino instaurem um Centro de Operações de Emergência (COE) e elaborem um Plano de Contingência, que deve passar por aprovação da Secretaria Municipal de Saúde, Vigilância em Saúde e COE da SMS.

Sendo o que tinha para o momento, subscrevo.

Anelise Appel Schneider,
Coordenadora Técnica do Serviço de Vigilância em Saúde.

Tarciana Raquel Moraski,
Secretária Municipal de Saúde.

Damaris Rubert,
Secretária Municipal de Educação.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo