Política

CPI para investigar falta de decoro do vereador Jardel Fernandes é aberta

Atual presidente da Câmara Municipal pode ter o mandato cassado

Pela primeira vez na história de Ajuricaba uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – foi instaurada. Através dela, uma provável falta de decoro parlamentar do presidente do legislativo municipal, Jardel Fernandes (PT) será apurada.

A comissão foi formada na primeira sessão pós-recesso, realizada na última segunda-feira (03), e irá apurar as atitudes do vereador em relação à postura e manifestação em episódios de controle e segurança em relação ao combate da propagação do coronavírus. O vereador, hoje presidente da Câmara Municipal, estaria com postura e atitudes que vão em desencontro aos decretos municipal e estadual.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O próximo passo da CPI é reunir informações sobre os fatos para a tomada de decisão, o que tem prazo de 15 dias. Além da comissão da Câmara, outros vereadores também relataram que foram contatados pela Promotoria Pública, que também investiga o caso. Com isso, a situação pode se agravar para Jardel Fernandes.

A casa deverá decidir por dois caminhos: Jardel Fernandes poderá ser absolvido ou ter seu mandato cassado. Para que a cassação aconteça, ao menos dois terços (seis vereadores) devem votar a favor.

Os membros da CPI, que abriram o processo é formada pelos vereadores Joelson Toso (PDT), Clarice Ottonelli (MDB), Leonildo Heck (PSL), Nardeli Uhde (Progressistas), Valdir Vollmer (PTB) e Adelar Prauchner (PT).

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo