ClimaRural

Situação de emergência pela estiagem em Ajuricaba é homologada

Foi reconhecida pelo Estado a Situação de Emergência em Ajuricaba, por decorrência da falta de chuvas que se arrasta deste dezembro do ano passado. Conforme a Secretaria da Defesa Civil do Estado do Rio Grande do Sul, o município teve os elementos apresentados, ilustrado e bem comprovados pela coordenação municipal, evidenciando as altas perdas econômicas, bem como danos humanos que aumentam consideravelmente dia à dia, levando em conta que a estiagem persiste em toda a região.

Conforme informações do secretário de Defesa Civil em Ajuricaba, Josemar Martins, foram realizadas várias reuniões com entidade representativas do município, principalmente ligadas ao meio agrícola.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Os prejuízos eram de cerca de R$ 70 milhões quando foi decretado e diagnosticado ao longo das reuniões. Hoje os danos econômicos superam R$ 80 milhões, devido ao prorrogado período sem chuvas, danificando em muito o milho (segunda safra), a soja do ciclo tardio e, principalmente, a produção leiteira, que sofre com a falta de pastagens e ainda deve registrar mais perdas por decorrência da baixa qualidade do milho silagem”, informa Martins. Muitas famílias tiveram suas nascentes secas, tanto para o alimento animal, como para o consumo humano, acrescenta.

Outro clamor em decorrência da estiagem vêm de diaristas, que tinham em diversas atividades, hoje reduzidas, sua fonte de renda familiar.

Contudo, o município aguarda por recursos das esferas federal e estadual, para atender demandas locais, principalmente relacionadas a abertura de poços, considerando que, além da estiagem, o municípios de forma geral tiveram suas receitas minimizadas por conta da pandemia do Covid 19, que contribui para a crise hora instalada.

Produtores que tomaram recursos em bancos, sendo para custeio ou investimento, deverão ter suas dividas prorrogadas.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar