Exibir tudo

Colégio Comendador mais uma vez é destaque em Concurso de Redação

Julia Piesanti, filha de Elovir e João Carlos Piesanti, estudante do 7º ano, conquistou o 2º lugar no Concurso de Redação do Roatry Club de Ijui […]

Comendador conquistou o 2º lugar na categoria Ensino Fundamental

Julia Piesanti, filha de Elovir e João Carlos Piesanti, estudante do 7º ano, conquistou o 2º lugar no Concurso de Redação do Roatry Club de Ijui e Jornal da Manhã, e Tacieli Laís Schmeling do 3º ano, filha de Eliane e Nelson Edemar Schmeling, teve seu texto classificado entre os 10 melhores da Categoria Ensino Médio. Os textos foram orientados pela professora de Língua Portuguesa, Valdete Mülhbeier.

A cerimônia de entrega de premiação aconteceu no dia 27 de agosto na Casa da Amizade em Ijuí, onde foram convidados os alunos finalistas do 1º ao 5º lugar, seus pais, professores orientadores, diretores das escolas, apoiadores e patrocinadores. Além dos prêmios aos finalistas, os textos das estudantes Julia e Tacieli foram publicados no Caderno com as 10 Melhores Redações do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Nesta edição, concorreram 693 redações de estudantes de escolas estaduais, municipais e particulares da região.

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O 12º Concurso de Redação teve como tema “Responsabilidade social – Boas ideias, bons exemplos”. Os melhores textos de todas as turmas participantes foram selecionados na escola e posteriormente enviados à 36ª CRE de Ijuí. Assim, com intuito de refletir sobre o assunto, os professores instigaram seus alunos à produção, refletindo sobre esse tema tão importante nas nossas vidas.

Segundo destaca a professora Valdete Mülhbeier “A produção textual envolve pesquisa, leitura, reflexão, escrita e reescrita e o resultado dessa prática é, sobretudo, a produção de conhecimento. Esses resultados incentivam o trabalho do professor, e em especial do estudante, que é o protagonista de sua própria história”.

O diretor Flavio Zulmiro Foguesatto salienta a importância desse trabalho desenvolvido no Colégio Comendador que tem trazido sempre bons resultados. Além do empenho dos alunos, ressalta a importante dedicação dos professores, e também da família, uma vez que ela representa a base na constituição do ser humano. A escola é um conjunto, no qual todos participam – alunos, professores, pais, direção, coordenação pedagógica e funcionários e nesse sentido todos estão muito contentes e de parabéns por essa conquista.

“Parabéns ao Colégio Comendador Soares de Barros, em especial às estudantes Julia Piesanti  e Tacieli Laís Schmeling e à professora Valdete Mülhbeirer”, destaca a direção do colégio.

 

Veja as redações na íntegra:

Redação de Júlia Piesanti

De quem é a culpa?

Certo dia, em uma rua calma na praça de uma grande cidade, a vassoura perguntou para a pá:

– Quem você mais admira neste mundo?

A pá pensou um pouco e respondeu:

– A formiga, pois sempre que a vejo, ela está trabalhando.

Uma folha de árvore intrometeu-se dizendo:

– Quem eu mais admiro neste mundo é minha mamãe!

Continua a vassoura:

– Quem eu mais admiro neste mundo é o seu Zé, o gari, pois ele é o único que liga para mim! Ele que com a ajuda, principalmente minha e da pá, limpa as ruas de nossa praça.

– Mas, agora, digam-me, quem vocês mais odeiam neste mundo?!

– O que eu mais odeio é a fumaça das fábricas e carros, pois poluem nosso ar, ficando difícil de nossa família respirar. – Fala a folha de árvore.

– O que eu mais odeio neste mundo são as sacolinhas plásticas, pois elas entopem bueiros, deixam a água parada… Diz a pá.

A vassoura, então retruca:

– Você não pode culpar as sacolinhas plásticas por isso; pois foram criadas por homens em fábricas, assim como nós! Quem você deve culpar são as pessoas que as utilizam de forma inadequada e as jogam nos lugares indevidos; provocando desordens como: alagamentos em ruas ou até em cidades inteiras; focos de mosquito devido a água parada e muitas outras coisas.

Após alguns segundos, todos ficaram pensativos… E a vassoura continua:

– O que não percebem é que não estão prejudicando só a natureza, mas a eles mesmos; pois daqui a alguns anos, o lixo predominará no planeta e não terá lugar nem para eles mesmos viverem, caso não mudem seus hábitos.

A folha de árvore conclui com um ar pensativo:

– Será que eles não pensam nisso, não?!

Júlia Piesanti
7º Ano
Professora: Valdete Mülhbeier
Colégio Estadual Comendador Soares de Barros

Redação de Tacieli Laís Schmeling

Responsabilidade social: deveres em prol da sociedade

“Não é a consciência do homem que lhe determina o ser, mas, ao contrário, o seu ser social que lhe determina a consciência”. A frase do filósofo Karl Marx, permite-nos refletir sobre como a ação social, bem como a responsabilidade do indivíduo em meio à sociedade, interfere no seu desenvolvimento e representa um desafio a ser enfrentado de forma mais organizada pela população brasileira. Nesse sentido, convém analisarmos as posturas e os comportamentos dos indivíduos, como também das grandes e pequenas empresas, e, por conseguinte, possíveis medidas sociais que possam promover ações beneficentes em prol de uma sociedade mais civilizada.

Hodiernamente, com o advento da modernização em meio à produção, impulsionada a partir da Revolução Industrial, grandes corporações ganharam maior espaço em meio à sociedade. Contudo, a negligência por trás das empresas e indústrias, mostra o desprezo por questões que envolvem o bem estar do próximo, como a deposição de lixo em lagos e rios, e a poluição gerada em grande massa, que se refletem na falta de responsabilidade e cuidado. Percebe-se, portanto, que essa postura inadequada, interfere na construção de uma nação que lhe determina a consciência, como citado nos princípios de Marx.

A ausência de ações beneficentes é um fator preocupante para essa nova era. O homem pode disponibilizar práticas que envolvam a preservação do meio ambiente, como a reciclagem, além de cada um destinar corretamente seu lixo. Além disso, políticas públicas que cobrem do cidadão e das empresas a responsabilidade diante dos próprios deveres, contribuiria muito para o bom desenvolvimento desse país. Gandhi, ao se referir às questões éticas comportamentais, inferiu que nós somos a transformação que queremos no mundo. Desse modo, quanto mais informada e educada é uma sociedade, melhor o seu progresso.

Desse modo, medidas são necessárias para resolver esse impasse. Portanto, deve-se promover nas escolas e na sociedade palestras e debates sobre responsabilidade social, com boas ideias e ações praticadas pelos indivíduos a fim de melhorar o meio em que vivemos, pensando também no próximo. Ademais, cabe à mídia, disponibilizar por meio de propagandas o quão relevante é o desenvolvimento de medidas tanto de prevenção contra o meio ambiente, como novas ideias e ações de cunho construtivo. Espera-se com isso, melhorar a educação e o ambiente em que estamos inseridos.

Tacieli Laís Schmeling
3º Ano
Professora: Valdete Mülhbeier
Colégio Estadual Comendador Soares de Barros

PATROCINADO - A NOTÍCIA CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Share via
Copy link